Vida

12 alimentos que podem matar o seu cão

Se tem algum amor pelo seu animal de quatro patas – aquele que ladra – há certos alimentos que não lhe deve dar. O Huffington Post fez uma lista dos ingredientes que podem ser fatais para o seu cão:

1. Chocolate

O chocolate é um dos 'clássicos' alimentos que faz mal aos cães, portanto, o melhor é não deixar tabeletes ou bolos de chocolate em locais acessíveis ao seu animal.

O que contém: O chocolate tem cafeína e teobromina, que entram na categoria do composto xantina. Diz-se que “quanto mais negro o chocolate, mais perigoso”, isto porque o chocolate branco quase não contém xantina, logo é menos perigoso.

O que provoca: Quando um cão come chocolate pode vomitar, ficar desidratado, ter dores abdominais, ficar muito agitado, ter um ritmo cardíaco irregular, aumento da temperatura corporal, convulsões e pode mesmo morrer.

2. Leite

Toda a gente sabe que o primeiro alimento de qualquer cachorro é o leite materno. Mas, tal como os seres humanos, estes animais podem ser intolerantes à lactose.

O que contém: Leite tem açúcar e os cães não têm enzimas para o processar.

O que provoca: O consumo de leite pode provocar vómitos, diarreia e outros problemas intestinais. Pode não colocar a vida do cão em perigo imediato, mas pode deixá-lo exposto a várias bactérias e, consequentemente, provocar uma doença.

 

3. Queijo

Queijo também é um alimento a evitar dar.

 O que contém: Tal como leite, o queijo tem açúcar e componentes gordurosos que as enzimas dos cães não têm capacidade de processar.

O que provoca: Queijo e outros produtos lácteos podem causar vários problemas se consumidos em excesso e, quando isso acontece, podem provocar gases, diarreia e vómitos, entre outros.

 

4. Cebola

Apesar de a cebola ser utilizada em grande parte dos pratos da comida portuguesa, este é um ingrediente que pode fazer mais ao seu cão do que pô-lo a chorar.

O que contém: A cebola contém vários componentes que podem fazer mal ao seu cão caso seja consumida em demasia.

O que provoca: Este alimento pode danificar as células vermelhas fazendo com que os animais fiquem mais fracos e mais parados. Se comerem muitas cebolas podem mesmo chegar a precisar de uma transfusão sanguínea.

5. Nozes de macadâmia

Esta é uma das mais recentes descobertas: as nozes de macadâmia podem ser extremamente prejudiciais para a saúde dos cães.

O que contém: Ainda não se sabe bem que químicos é que se encontram nestas nozes, mas sabe-se que causam reacções tóxicas nos cães se forem ingeridas.

O que provoca: Os animais podem ficar fracos e incapazes de andar – as patas traseiras ficam particularmente afectadas. Vómitos, um andar cambaleante, depressão, tremores e hipotermia são outros dos sintomas.

6. Alho

O melhor mesmo é tratar o seu cão como se fosse um vampiro e mantê-lo afastado dos alhos.

O que contém: Aqui aplica-se a mesma regra do chocolate: Quanto mais ‘forte’ é, mais toxinas contém. O alho é da família da cebola, mas é ainda mais perigoso para os cães porque tem componentes mais tóxicos: um alho pode provocar mais danos que 30 gramas de cebolas.

O que provoca: Apesar do efeito do alho nas células vermelhas só aparecer passados alguns dias, os cães ficam cansados e relutantes em se mexer. A cor da urina pode ficar desde laranja e até vermelha escura e, tal como as cebolas, pode ser necessário uma transfusão de sangue.

7. Uvas

As restrições das uvas são semelhantes às das nozes de macadâmia.

O que contém: Também não se sabe exactamente que químicos e componentes têm as uvas que provocam toxicidade nos cães, mas o consumo deste fruto pode ter um efeito devastador.

O que provoca: As uvas e as passas podem causar falência renal. Ainda que varie de cão para cão, esta pode não ser uma doença sintomática. Para além de falência renal, estes animais podem também ficar a vomitar, com diarreia, sem energia e podem ainda ficar desidratados e com falta de apetite. A falência renal pode levar à morte do animal ao fim de três ou quatro dias.

 

8. Abacate

Guacamole para o seu amigo de quatro patas? Não é muito boa ideia.

O que contém: As folhas, o caroço, a casca e o próprio fruto têm uma toxina chamada persina.

O que provoca: Algumas variedades de abacate podem ter um efeito tóxico nos cães. Podem ficar com o estômago sensível, com dificuldades respiratórias, com líquido no peito mas o mais perigoso é mesmo o caroço do abacate. Uma vez que é escorregadio, pode ser acidentalmente engolido pelos animais e pode provocar obstruções no trato gastrointestinal.

9. Talo da Maçã

A maior parte das pessoas evita comer o talo das maçãs mas é algo bem mais tóxico para os cães do que para os seres humanos.

O que contém: O talo das maçãs – tal como o dos pêras e os caroços das ameixas, pêssegos e damascos – têm glicosídeos cianogénicos, ou seja, cianeto.

O que provoca: Alguns dos sintomas de ingestão desta toxina são as tonturas, dificuldades em respirar, convulsões, desmaios, hiperventilação, choque e até mesmo coma. 

 

 

10.    Massa fermentada crua

O pão pode engordar tanto seres humanos como cães, mas o que é mesmo perigoso para estes animais é massa crua do pão.

O que contém: A massa crua pode fermentar no estômago do animal, tornando-se tóxica

O que provoca: Para além da toxicidade do álcool ser produzida no estômago, a massa fermentada no estômago ou intestinos de um cão pode gerar uma grande quantidade de gases, que pode provocar fortes dores e eventualmente causar uma ruptura intestinal.

Também podem sofrer de vómitos, desconforto abdominal e letargia.

11.    Cafeína

Ninguém no seu perfeito juízo daria café a um cão (certo?) mas ainda assim, o melhor é mesmo manter o seu animal afastado tanto de café como de qualquer tipo de cafeína.

O que contém: O café contém um estimulante conhecido como xantina.

O que provoca: A xantina estimula o sistema nervoso dos cães, provocando vómitos, agitação, palpitações até morte.

 

12.  Bacon

Por mais apetitoso e cheiroso (tanto para nós como para eles), não partilhe esta comida com o seu cão – nem mesmo às escondidas!

O que contém: As comidas ricas em gorduras, como bacon, podem provocar uma pancreatite. Depois de desenvolver esta doença, o pâncreas fica inflamado e pode começar a não funcionar correctamente.

O que provoca: Podem causar uma série de problemas na digestão e na absorção de nutrientes.

rita.porto@sol.pt