Sociedade

Sobreiros verdes abatidos no Estuário de Tejo

Estão a ser cortadas dezenas de sobreiros verdes, árvores, protegidas por lei, na zona da Adema, junto da EN 118, em Samora Correia, no concelho de Benavente, dentro de uma área classificada como Zona de Protecção Especial (ZPE) para aves selvagens do Estuário do Tejo, e Sítio de Importância Comunitária, denunciou hoje a Quercus.

A associação ambientalista solicitou já a intervenção do Serviço de Protecção da Natureza e Ambiente da GNR, pedindo também esclarecimentos ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas sobre uma eventual autorização para o abate de sobreiros. 

“Estamos em plena época de nidificação das aves, e operações deste tipo podem ter impactos negativos consideráveis nas aves selvagens do local”, alerta a associação.

“As operações em curso incluem também a retirada do local dos troncos e ramos das árvores cortadas e entretanto foi iniciada a instalação de um pivô de rega, o que revela a intenção de converter o solo para cultura de regadio, intensificando o sistema agrícola”, sublinha ainda a Quercus, apelando à ministra da Agricultura, Assunção Cristas, para que não existam mais autorizações para abate de sobreiros em áreas importantes para a conservação da Natureza e lembrando que o sobreiro é uma espécie protegida e símbolo nacional.

sonia.balasteiro@sol.pt