Politica

Mais expulsões no PS

Somam-se as expulsões no PS, em Coimbra. Elísio Estanque e Pedro Bingre receberam hoje ordem de expulsão do partido por terem concorrido, nas eleições autárquicas, na lista do movimento independente “Cidadãos por Coimbra”, que concorreu contra a lista do PS encabeçada pelo actual presidente da Câmara, Manuel Machado.

“No momento em que o PS tenta mostrar abertura com as primárias e há esta ostentação de se abrir à sociedade, está a expulsar militantes. É um tiro no pé. É uma nova era de caça às bruxas”, afirma ao SOL o professor universitário, Elísio Estanque.

O militante de Coimbra reconhece que, nos estatutos do partido, está prevista a expulsão dos militantes que integrem listas opositoras às apresentadas pelo PS mas contesta: “Lamento esta lógica do aparelhismo que é cumprir os estatutos quando é conveniente e fechar os olhos quando não convém. Manuel Alegre também concorreu contra um candidato apoiado pelo PS e nunca foi expulso, por exemplo”.

Elísio Estanque garante que há um “incómodo do aparelho local” com algumas pessoas do PS em Coimbra.

Em Fevereiro, o socialista já tinha sido suspenso pela Comissão de Jurisdição Federativa de Coimbra com proposta de expulsão à Comissão Nacional de Jurisdição. Agora, recebeu uma carta da Comissão Nacional, presidida por Ramos Preto, com ordem de expulsão.

Hoje mesmo o histórico socialista Manuel Alegre manifestou-se “muito incomodado” com a expulsão da militante Cristina Martins que o SOL noticiou. A militante recebeu esta terça-feira ordem de expulsão depois de em 2011 ter comunicado publicamente que existiam ilegalidades na Federação de Coimbra, com a entrada de militantes com moradas falsas.

Cristina Martins falou com o Secretário-Geral do PS, António José Seguro, e outros dirigentes do partido e fez queixa na Comissão de Jurisdição Federativa e Nacional. “Nunca me responderam”, afirmou ao SOL. Partiu então para a Justiça e falou com órgãos de comunicação social. A ordem de expulsão a que o SOL teve acesso baseia-se nisso mesmo: que Cristina Martins não devia ter denunciado publicamente o caso dos falsos militantes, uma vez que isso atentou o bom nome do partido.

O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) ainda está a investigar o caso dos falsos militantes e já ouviu centenas de testemunhas.

Por causa da “desconfiança” em relação aos cadernos eleitorais em Coimbra, o fundador do PS, António Campos, pediu ontem a refiliação de todos os militantes e a suspensão das eleições para a Federação, marcadas para 5 de Setembro. 

Leia também:

PS: Manuel Alegre ‘muito incomodado’ com a expulsão da militante Cristina Martins

Falsos militantes levam fundador do PS a pedir refiliações

PS expulsa socialista que denunciou falsos militantes

 

sonia.cerdeira@sol.pt