Cultura

Lídia Jorge é a homenageada da Escritaria, em Penafiel

Depois de ter distinguido escritores como Saramago, Mia Couto e António Lobo Antunes, a Escritaria, o festival literário de Penafiel que, este ano, vai já na sua 7.ª edição, decidiu homenagear Lídia Jorge. Assim, a Escritaria 2014, que este ano se realiza entre 1 e 5 de Outubro, propõe que a cidade seja contaminada pela obra da autora de O Dia dos Prodígios.

A ideia é que, ao longo dos cinco dias (nas edições passadas eram apenas três) qualquer pessoa que esteja em Penafiel se encontre com a obra de Lídia Jorge. O que pode acontecer não só através do encontro da escritora com o público, mas através das várias artes e formas de expressão que nesses dias vão contaminar as ruas da cidade com a literatura da autora, e que passam pelo teatro, música, artes plásticas e decoração de rua. Através de toda esta contaminação, no início de Outubro, Penafiel torna-se a cidade da algarvia Lídia Jorge. São cinco dias durante os quais será difícil não tropeçar na obra da autora, seja nas conferências, na arte de rua, na apresentação de livros ou nas peças de teatro que invadem a cidade.

Nascida em Boliqueime, em 1946, Lídia Jorge é uma das mais destacadas escritoras em língua portuguesa. Autora de obras como A Costa dos Murmúrios, O Vale da Paixão, O Vento Assobiando nas Gruas e Os Memoráveis, foi distinguida com diversos prémios, entre eles o de Ficção do PEN Clube, o APE de Romance e Novela, o Correntes d’Escritas, o Charles Bisset e o Jean Monet de Literatura Europeia – Escritor Europeu do Ano, tendo ainda sido finalista do IMPAC para a literatura internacional.   

rita.s.freire@sol.pt