Politica

Costa e Beleza chegam a acordo: um terço de seguristas na direcção

António Costa aceita incluir um terço de seguristas nos órgãos da direcção do PS, a eleger  em congresso, e a mesma proporção na direcção da bancada parlamentar. O vencedor das eleições primárias e Álvaro Beleza, secretário nacional na direcção de Seguro, chegaram ontem a um entendimento para a representação dos seguristas e a construção da unidade do partido.

“Tudo farei para sarar as feridas e este acordo é expressão disso mesmo. Sarar feridas, enquanto médico, faz parte da minha vida”, afirma Álvaro Beleza ao SOL. O entendimento garante que "serão tidos em conta os resultados eleitorais". Seguro teve um terço dos votos nas primárias, pelo que, sendo assim, garante que os seus apoiantes serão representados, nesta proporção, na direcção e no grupo parlamentar. A nova direcção da bancada socialista, presidida por Ferro Rodrigues, é eleita amanhã.

“António Costa já falou com Beleza”, confirma fonte costista. “Será respeitado o peso dos seguristas no grupo parlamentar, comissão nacional e comissão política”, garante a mesma fonte.

Consequência deste acordo, é a junção, na moção a levar ao congresso, da Agenda para a Década, de António Costa, e o Novo Rumo e o Laboratório de Ideias, de Seguro. Na próxima semana será marcada uma reunião que irá fazer convergir os documentos. "A minha preocupação maior é preservar as ideias e os programas que António José Seguro defendeu nos últimos meses, contribuindo para a unidade do PS", diz Beleza.

Este dirigente socialista, que se bateu pela reforma do sistema eleitoral, diz ao SOL que no acordo com Costa está contemplada a reforma do sistema político. "Chegámos a acordo na reforma das leis eleitorais e nas primárias, no sentido de aproximar os eleitos dos eleitores", revela ainda. "É importante que os eleitores possam escolher os seus deputados", sublinha.

Álvaro Beleza foi dado no início da semana como possível candidato, no congresso, contra António Costa. Era essa a vontade de um grupo de socialistas que pretendiam, dessa forma, preservar a representação da minoria vencida nas primárias nos órgãos do PS. Beleza no entanto afastou essa hipótese. "Que fique muito claro de uma vez por todas, o meu candidato a primeiro-ministro é o António Costa. Não contém comigo para dividir o PS. A liderança do partido ficou resolvida domingo e, como já disse, tudo farei para unir", afirmou o dirigente do PS à Lusa.

Nos últimos dias terá sido desenvolvida uma estratégia por personalidade próximas de Seguro para negociar com António Costa. Ontem Beleza e o substituo de Seguro na liderança do PS chegaram a um entendimento.

manuel.a.magalhaes@sol.pt