Economia

Contribuintes podem vir a pagar o colapso do BES

 O Governo admitiu pela primeira vez que a solução encontrada para o antigo BES, actual Novo Banco, poderá ter custos para os contribuintes. 

Lusa  

Esta quarta-feira, no Parlamento, a ministra das Finanças Maria Luís Albuquerque afirmou que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) “pode ter perdas” pela sua participação no fundo de resolução que injectou 4,9 mil milhões de euros no Novo Banco. Isto se a eventual venda da nova instituição não gerar aquele valor.

A responsável das Finanças respondia a uma pergunta da deputada bloquista Mariana Mortágua sobre a possibilidade de perdas para o banco público.

“O Estado é acionista da CGD. Encontrar-se-á na posição de ter o mesmo impacto que os accionistas dos outros bancos” que participam no fundo, disse a ministra.

É a primeira vez que o Governo admite a possibilidade de perdas na operação. Até aqui, o Executivo negava a existência de riscos para o contribuinte.