Politica

Marinha portuguesa escolta navio russo para fora de águas nacionais

Um navio russo foi escoltado, esta madrugada, por uma corveta da marinha portuguesa para fora da Zona Económica Exclusiva, confirmou o ministro da Defesa, Aguiar-Branco, aos jornalistas durante uma visita à Base Aérea de Siauliai, no norte da Lituânia

De acordo com o ministro, o navio hidrográfico russo estava dentro da Zona Económica Exclusiva. A corveta portuguesa saiu de Faro e escoltou o navio para fora da ZEE pelo Norte do país.

“Esta missão mostrou a prontidão da marinha portuguesa”, referiu Aguiar Branco, citado pela Lusa

A missão terá demorado toda a noite, tendo terminado já de madrugada, perto das 05h30 da manhã.

O ministro falou aos jornalistas no final de uma visita à Base Aérea de Siauliai, no norte da Lituânia, a cerca de 200 quilómetros da capital, Vilnius, onde visitou as Forças Nacionais Destacadas que se encontram numa missão de policiamento e vigilância aérea da NATO.

"Também existe capacidade ao nível da Marinha numa situação desta natureza para fazer, com o nível de prontidão exigível, a identificação e o acompanhamento, tal como aconteceu em espaço aéreo internacional", sublinhou.

Note-se que este é já o terceiro incidente numa semana a envolver meios militares russos em Portugal. Na semana passada, por duas vezes, caças F-16 da Força Aérea Portuguesa (FAP) interceptaram e identificaram aviões militares russos em espaço aéreo internacional sob jurisdição portuguesa.

Nessa altura, o ministro da Defesa sublinhou que essas operações demonstraram que "o sistema funcionou" e garantiu que "há de funcionar sempre que for necessário".

SOL