Internacional

Morreu Tugce, jovem mártir do machismo

Foi desligado esta sexta-feira o suporte vital a Tugce Albayrak, uma jovem alemã de origem turca que estava em coma desde dia 15, na sequência de uma violenta agressão.

A decisão foi tomada pelos pais, depois de os médicos terem informado a família que a jovem não tinha qualquer hipótese de recuperação. O ‘adeus’ foi dado no dia do 23º aniversário.

Tugce fora violentamente agredida na cidade alemã de Offenbach, momentos depois de ter enfrentado um grupo de homens que assediavam duas jovens de 13 e 16 anos na casa-de-banho de um restaurante da McDonalds.

Segundo a imprensa germânica, Tugce jantava naquele estabelecimento quando, perante a passividade dos empregados e dos restantes clientes do restaurante, decidiu levantar-se da mesa e acudir as jovens, que gritavam.

A jovem mulher libertou as vítimas de assédio, mas não conseguiu sair do restaurante. No exterior, os agressores fizeram-lhe uma ‘espera’. Um destes, um rapaz de 18 anos, agrediu-a no parque de estacionamento, provocando os ferimentos que a levariam à morte. Segundo a Deutsche Welle, desferiu-lhe um soco que a fez cair e bater com a cabeça numa pedra. O presumível homicida está detido.

O caso chocou a Alemanha. Os amigos da vítima acusam os funcionários do restaurante de não terem prestado auxílio a Tugce – terão mesmo cobrado pelo copo de água que foram pedir para a vítima.

Nas redes sociais, ganhou força uma petição para uma homenagem de Estado. O governo estadual de Hessen, no oeste germânico, deverá condecorar Tugce. Este sábado, o Presidente da República, Joachim Gauck, enviou uma carta de condolências à família da vítima. E milhares de pessoas saíram às ruas para vigílias e homenagens.

Devido a Tugce, a Alemanha volta a discutir o problema universal da violência de género. E, ao mesmo tempo, debate a necessidade de uma maior coragem cívica – o dever de intervir perante casos de violência e de abuso – por parte dos recatados alemães.