Cultura

P’ro menino e p’ra menina

É assim tão diferente criar para crianças ou adultos? Faz sentido considerar trabalhos artísticos para a infância iniciativas menores? É a estas e a tantas outras questões que o colóquio É Então Isto para Crianças?, a decorrer segunda e terça-feira na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, vai tentar responder. A ideia, diz a escritora e jornalista Inês Fonseca Santos responsável pela programação, é perceber “o que está implicado na criação para a infância e juventude, especialmente nos dias de hoje em que há uma oferta muito competente e desafiante quer em teatro, música, literatura e festivais de cinema”. 


Por acreditar que criar para estes públicos “é um desafio ainda maior porque é um campo muito aberto à imaginação”, Inês Fonseca Santos dividiu o colóquio em quatro mesas – que partem todas da mesma pergunta, mudando só a área (É Então Isto... Um Livro?, Um Filme?, Uma Canção? e Um Espectáculo?) –, preocupando-se em convidar oradores multidisciplinares como, entre outros, o escritor Afonso Cruz (também ilustrador, realizador de animação e músico), os ilustradores Catarina Sobral e António Jorge Gonçalves (também escritores) e os músicos B Fachada e Manuela Azevedo (que fizeram discos para crianças). 

Além das conversas, na segunda à noite realiza-se o concerto É P’ra Meninos, título do disco que B Fachada lançou em 2010, e que vai juntar o músico com os Clã, que nesse ano também editaram Disco Voador. A este espectáculo, de entrada gratuita, juntam-se ainda os ‘coros’ dos objectos do ilustrador André da Loba. 

alexandra.ho@sol.pt