Sociedade

Encontro secreto nos EUA

José Sócrates não só telefonou ao vice-Presidente de Angola, Manuel Vicente, para interceder pelos negócios do Grupo Lena - conforme admitiu na entrevista à SIC - como também se encontrou com ele em Nova Iorque, no final de Setembro. Nas escutas telefónicas realizadas na Operação Marquês, Sócrates e o empresário Carlos Santos Silva foram interceptados a fazerem, à pressa, as marcações da viagem.

Raquel Wise/SOL

Tudo começou com o telefonema ao governante angolano: depois de invocar a crise económica e a asfixia das empresas nacionais, Sócrates explicou a Manuel Vicente que o Grupo Lena ( “pessoas a quem devo atenções”, como referiu ) estava interessado num concurso público em Angola, na área da construção. Em nome do relacionamento dos tempos em que foi primeiro-ministro, pediu-lhe então para receber os patrões do grupo, tentando marcar um encontro em Luanda.

Só que Manuel Vicente estava de viagem marcada daí a dias para Nova Iorque, onde ia representar o Presidente de Angola na Assembleia-Geral da ONU, a 30 de Setembro. De imediato, Sócrates disse-lhe que também ele e os amigos tinham por lá afazeres e terminaram o telefonema combinando que acertaria a reunião através do embaixador angolano nas Nações Unidas.

Leia este artigo na íntegra na edição impressa já nas bancas

felicia.cabrita@sol.pt