Sociedade

Revistas à bagagem de mão têm novas regras

A bagagem transportada na cabine dos aviões será alvo de novos rastreios para controlar a presença de explosivos.

A partir de agora, quem viaje com aparelhos eléctricos de grandes dimensões – computadores, máquinas fotográficas ou de vídeo, leitores de música, secadores, alguns dispositivos a pilhas – poderá ter de os submeter à passagem num detector de explosivos. À semelhança do que já acontece com os computadores e tablets, esses objectos poderão ter de ser colocados numa bandeja separada para que sejam rastreados.

A medida, que entrou em vigor ontem, abrange todos os aeroportos da União Europeia. E faz parte de uma directiva da Comissão Europeia para «atenuar a ameaça de engenhos explosivos improvisados ocultos dentro da bagagem de cabine», lê-se no regulamento.

Segundo a Comissão Europeia, «dados recentes mostram que estão a ser feitas tentativas por terroristas no sentido de desenvolver novas formas de ocultação de engenhos explosivos improvisados, destinadas a combater as actuais medidas de segurança da aviação relativas ao rastreio da bagagem de cabina».

Daí que as autoridades aeroportuárias europeias estejam a aperfeiçoar o rastreio da bagagem de mão através da utilização de sistemas de detecção de explosivos.

ana.serafim@sol.pt