Sociedade

PJ deteve mais um suspeito de fogo florestal

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje a detenção de um agricultor suspeito de crime de incêndio florestal em Resende, elevando para 18 o número de detidos neste verão pelo mesmo crime.

a detenção foi efectuada através da directoria do norte da pj, com a colaboração da gnr de lamego.

o homem, de 59 anos, é o presumível autor de dois crimes de incêndio florestal, ocorridos em são martinho de mouros, resende, nos dias 28 e 30 de julho.

segundo o comunicado da pj, o agricultor terá agido «motivado por um impulso irresistível de atear fogo à floresta», constituída por pinheiros e outra vegetação.

terá ainda utilizado «um pequeno isqueiro» para praticar estes crimes e outras três situações ocorridas em meados de agosto que, por razões desconhecidas, não resultaram em incêndios de proporções relevantes».

devido à «pronta intervenção» das diversas corporações de bombeiros, os referidos incêndios «não atingiram proporções de maior dimensão, tendo-se evitando assim a destruição de grandes extensões de povoamentos florestais de elevado valor e a sua propagação a algumas habitações».

a pj já deteve 18 pessoas, durante este verão, pela prática de crimes de incêndio florestal.

lusa / sol