Sociedade

Coimbra vai ter acesso gratuito à internet

A Câmara de Coimbra disponibiliza, a partir da madrugada de sábado, acesso gratuito à internet numa "vasta área da cidade", designadamente na zona classificada Património Mundial, anunciou hoje o presidente do município, Manuel Machado.

"A Câmara Municipal de Coimbra coloca em funcionamento na madrugada de 25 de Abril a sua primeira rede pública de wi-fi", que permitirá o "acesso gratuito à internet, numa vasta área da cidade, a munícipes, visitantes e turistas", disse hoje durante uma conferência de imprensa o presidente do município.

Designada 'Coimbra+', a rede sem fios, que entra em funcionamento no sábado, abrange toda a área classificada em Junho de 2013, pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), como Património Mundial da Humanidade, acrescentou o autarca socialista.

Além da área classificada, que abrange a generalidade do Polo I da Universidade, na Alta histórica da cidade, e a Rua da Sofia, na Baixa, a rede abrange, designadamente, ruas e espaços como Parque Verde, Largo da Portagem, ruas Ferreira Borges e Visconde da Luz, Praça 8 de Maio, Câmara e Mercado D. Pedro V, na Baixa da cidade, Praça da República e Casa Municipal da Cultura, na Alta, e Pavilhão Multidesportos Mário Mexia e Complexo das Piscinas Municipais, na Solum.

Dotada de "24 pontos de acesso exteriores e interiores, a nova rede permitirá aos utilizadores um acesso simplificado à internet, sem necessidade de senha" e "sem custos pessoais de tráfego de dados", mas condicionado à aceitação, por parte do utilizador, de "determinadas condições", de modo a cumprir a legislação em vigor e a proteger a própria rede.

A 'Coimbra+' será ampliada e, como já sucede agora, partilhada com outras redes (em relação às quais "a interoperabilidade seja possível"), de "acordo com "as possibilidades técnicas e disponibilidades financeiras da Câmara", adiantou Manuel Machado.

Com este projecto, a autarquia pretende "contribuir para transformar Coimbra numa cidade mais moderna, cosmopolita e atractiva turisticamente, mas também mais democrática e plural", salientou Manuel Machado.

O facto de a Baixa ser uma das zonas privilegiada na 'Coimbra+' também visa contribuir para a revivificação desta zona da cidade, que a Câmara pretende que seja mais habitada, aumente a sua actividade económica e possua mais imóveis reabilitados.

A data escolhida para a entrada em funcionamento da rede pretende também, de algum modo, evocar "a madrugada de 25 de Abril [de 1974], que corresponde a um ponto de viragem" na história de Portugal, disse Manuel Machado.

Sem adiantar números, o presidente da Câmara de Coimbra afirmou que o projecto 'Coimbra+', cuja instalação foi assegurada essencialmente por técnicos da autarquia, representa "um investimento comportável", que se enquadra na preocupação de "criar condições para as pessoas viverem melhor".

Lusa/SOL