Internacional

Mãe explica porque ralhou com o filho no meio dos protestos de Baltimore

As imagens de Toya Graham a ralhar com o seu filho de 16 anos e a levá-lo para casa depois de este ter tentado participar nos motins em Baltimore, EUA, tornaram-se virais.

O impacto do vídeo foi tal que a mulher chegou mesmo a ser entrevistada por meios de comunicação norte-americanos. 

“Eu sabia que ele estava a meter-se em problemas”, disse Graham, mãe de 6, à CBS News. 

A mulher afirma que não estava a pensar nas câmaras quando começou a ralhar com o filho. “É o meu único rapaz e eu não quero que ele se torne num Freddie Gray [jovem afro-americano que morreu quando estava sob custódia policial]”.

“Perdi a cabeça (…) Estava chocada e zangada. Ninguém quer ver o seu próprio filho no meio da rua a protestar daquela foram”, acrescentou.

A atitude de Toya Graham foi enaltecida por milhares de pessoas em todo o mundo, incluindo o comissário da polícia de Baltimore Anthony Batts, que afirmou mais tarde que gostava que mais pais assumissem uma atitude semelhante e se responsabilizassem pelos actos dos filhos.