Opiniao

As relações sexuais

É uma das principais razões pela qual muitos saem à noite. Sobretudo os homens, é certo, que muitas vezes pensam que as discotecas são talhos onde vamos única e exclusivamente para escolhermos o tipo de carne que queremos levar para casa, para saciarmos o nosso desejo. Não é culpa de ninguém, a sociedade tornou-se assim, mais liberal nos seus costumes, pragmática nos objectivos a atingir e objectiva na forma e no conteúdo. A forma de pensar o grau de compromisso que o sexo tem para nós e o menor impacto que as questões morais têm como factor de decisão também ajudaram. 
 

Assim se explicam tantos divórcios, tantas separações, porque vivemos numa dicotomia de valores em que queremos ser livres mas 'ai de que o nosso companheiro/a faça o mesmo'. Deixámos de ser apedrejados por adultério, perdeu-se o julgamento em praça pública, gradualmente tudo passou a ser normal porque o tempo encarregou-se de desresponsabilizar esse tipo de atitudes.  

Dizia-me uma amiga há pouco tempo que tinha acabado a relação com o namorado porque tinham vidas incompatíveis mas era uma pena que ele não pudesse continuar a ser 'amigo colorido' porque era óptimo na cama. Somos cada vez mais uns eternos insatisfeitos e cada vez mais físicos. Uma mistura explosiva que nos leva constantemente a situações de risco. É o abraço à mulher do amigo, a troca de olhares com o marido da amiga, a selfie com a colega de trabalho... A linha é tenue e perigosa e muitas vezes parece que gostamos de colocar "os dedos na ficha" por uma questão de ego e de predisposição sexual. 

É essa cultura da diversão sem complexos em que tudo é normal que torna a noite mais susceptível e se a isso lhe juntarmos o álcool em excesso e algumas drogas mais afrodisíacas estão reunidos todos os condimentos para que aquela pequena timidez que nos inibiu de nos insinuarmos a tal pessoa desapareça e uma nova capa de super-homem faça erguer vontades próprias e uma coragem que desconhecíamos existir. É aí que entra a diferença entre liberdade e libertinagem. Sobretudo nos verões quentes como este que agora se inicia.