Internacional

Ataques sexuais em Colónia terão sido planeados

O ministro alemão da Justiça, Heiko Maas, diz acreditar que os ataques sexuais em Colónia, na noite de passagem de ano, “planeados”, pedindo às forças de segurança que investiguem novos suspeitos. 

O ministro acusou ainda a extrema-direita e os grupos xenófobos de tentarem propagar o ódio.

Em entrevista ao jornal alemão “Bild am Sonntag”, publicada hoje, o ministro garante que os crimes não foram espontâneos. “Que ninguém me venha dizer que isto não foi coordenado ou preparado. A minha suspeita é que essa foi a data escolhida propositadamente, dado que era esperado um elevado número de pessoas. Isto daria, mais uma vez, uma nova dimensão [aos crimes]”, disse Maas.

Devido às várias acusações de que terão sido refugiados a cometer as agressões, o ministro garantiu que “não faz sentido nenhum”. “Presumir a partir da origem de uma pessoa que ela é mais ou menos propícia a cometer crimes, é algo irresponsável”, disse.

Entretanto, o chefe da polícia de Colónia, Wolfgang Albers, foi afastado do cargo pela forma como atuou nessa noite.

A polícia da cidade, atualizou ontem os números de queixas: até ao momento, já foram recebidas 516 queixas de violência. 40% das vítimas relatam casos de agressão sexual.