Politica

Cartão de cidadania. PCP trava proposta do Bloco de Esquerda

Proposta dividea esquerda e dificilmente será aprovada.

O projeto do BE para mudar o nome do cartão de cidadão para cartão de cidadania parece estar condenada ao insucesso. A proposta tem sido ridicularizada pela direita, que já anunciou o voto contra, e também não consegue unir a esquerda. Resultado: quando o projeto de resolução dos bloquistas for a votos, o mais certo é chumbar. 

O Bloco já teve contactos com os socialistas para avaliar as possibilidades de sucesso da iniciativa, mas foi do PCP que veio a garantia de que, neste ponto, a esquerda não vai unir-se. “É uma matéria claramente não prioritária (...) Não é uma questão de género, mas de gramática”, disse ao “Diário de Notícias” o deputado comunista Jorge Machado. 

O projeto do BE quer mudar o nome do cartão por não respeitar “a identidade de género” – uma ideia que tem apoios de alguns deputados socialistas, mas não é consensual no PS. Edite Estrela defende que “há problemas mais importantes para resolver”.

Em nome do PS, a deputada Susana Amador considerou, em declarações à SIC Notícias, que é um assunto que tem de ser “avaliado”.

PSD e CDS vão votar contra. Vários deputados do PSD classificaram a proposta como ridícula. Nuno Melo, vice-presidente do CDS, também escreveu, num artigo no “JN”, que a proposta é ridícula. O eurodeputado escreve que o mais grave “é saber-se que a proposta faz igualmente sentido ao PS, porque um partido que foi fundador da democracia se mostra assim completamente subordinado a uma extrema-esquerda de que depende para sobreviver no poder, transfigurando-se ao ponto de fazer sua uma agenda ridícula feita de nada”.