Economia

Moody’s ameaça cortar rating da Caixa

A Moody’s pôs esta segunda-feira o rating da Caixa Geral de Depósitos (CGD) sob vigilância negativa, o que significa que a agência poderá baixar a notação financeira do banco público no futuro. A empresa está preocupada com os rácios de capital da instituição, mas vai esperar que a recapitalização pública do banco esteja concluída para tomar uma decisão final.

DR  

O rating é uma nota que avalia o grau de risco de uma empresa ou de um Estado, e quanto pior for, mais difícil será o financiamento nos mercados internacionais.

No caso da CGD, a agência nota que o banco apresenta “riscos descendentes substanciais” devido a uma “muito fraca” capacidade de absorção de risco e a almofadas de capital “muito finas” face aos requisitos estabelecidos pelo Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

A Moody’s alerta para o grau de incerteza em torno do banco e indica que voltará a analisar a situação da CGD depois de ser conhecida a viabilidade e a dimensão da injeção de capital que o Governo está a preparar, além da extensão das medidas de reestruturação aprovadas como parte do apoio de capital prevista para o banco.

Segundo a avaliação da agência de rating, o quadro da CGD é de “incerteza”, já que o banco mostra “falta de flexibilidade” para gerar recursos internos e tem operações deficitárias, que panalizam a capacidade de gerar lucros.