Sociedade

Agressores de Alcochete planeavam ir às casas de jogadores e de Jorge Jesus

Presidente do Sporting autorizou Juve Leo a dar ‘apertão’ aos jogadores depois da derrota em Madrid. Agressores de Alcochete deviam dirigir-se dali para as casas dos jogadores.

Depois das agressões em Alcochete, os adeptos fugiram em carros mas acabaram por ser intercetados pela GNR e detidos. O plano era seguirem dali para as casas de alguns jogadores e do treinador Jorge Jesus, atemorizando os familiares. A detenção impediu mais estes atos de vandalismo - embora Jesus já estivesse avisado através de uma fonte interna que denunciou a ação.

Jaime Marta Soares, o presidente da Assembleia Geral, que pôs anteontem em marcha um plano com vista à destituição imediata da direção, mostrou muita hesitação ao longo de todo este processo, rompendo e depois reconciliando-se com Bruno de Carvalho. Segundo uma fonte próxima, Marta Soares foi ‘ameaçado’ pelo médico Eduardo Barroso - que se manteve ao lado do presidente - de que, caso a direção fosse demitida, ele mesmo se candidataria à presidência e depois convidaria Bruno para seu braço-direito.

Segundo a mesma fonte, Eduardo Barroso tem muito prestígio interno no Sporting, um prestígio «transversal», sendo respeitado tanto pelos mais jovens como pelos mais velhos, pelo ‘povo’ e pela ‘elite’ - dado o seu sportinguismo e a notoriedade como cirurgião. A sua posição seria sempre decisiva no desfecho do caso. Na quinta-feira, Barroso alterou a sua posição e pediu a cabeça do presidente, dizendo que este não tem «condições para continuar».