Desporto

Bruno de Carvalho 'faz peito' aos bancos credores

O presidente do Sporting anunciou em conferência de imprensa, esta quarta-feira, que mesmo contra a vontade da banca e dos credores, vai avançar com a auditoria de gestão às contas do clube dos últimos anos.

“a auditoria de gestão vai mesmo avançar como dissemos”, afirmou bruno de carvalho que quer cumprir o que prometeu após vencer as eleições: clarificar toda a gestão económica e desportiva dos últimos anos. algo que os bancos credores não aprovam e exigem que não se realize, pois só assim viabilizam o projecto financeiro e desportivo do sporting.

sem adiantar grandes detalhes sobre as negociações em curso com a banca, o presidente do sporting lamentou não poder falar o que pretendia. “a minha posição alterou-se, sou o presidente do clube e da sad e tenho com isso um conjunto de deveres de sigilo. por isso não vou dizer tudo aquilo que queria, mas esse dever de sigilo não será para sempre. assumimos desde sempre que manteríamos os sócios a par da situação, para que, informados e em consciência, possam tomar as suas posições”, afirmou o dirigente leonino.

bruno de carvalho abordou ainda a questão da banca e da entrada de investidores. “continuamos em negociações com os parceiros bancários do sporting. a fusão da spm (sociedade património e marketing) e da sad (sociedade anónima desportiva) está pensada, falta preparar as negociações. o nosso plano contempla a redução dos custos operacionais. prevemos que a sad e a spm comecem a dar lucro na próxima época. a entrada de investidores está feita, mas nenhum investidor vai colocar um cêntimo que seja no sporting sem que a reestruturação esteja feita”, disse.

quando questionado sobre a possibilidade da sua demissão da presidência do sporting, caso os bancos credores não fossem flexíveis nas negociações, bruno de carvalho salientou que "nem tudo o que é noticiado é notícia" e que "mais cedo ou mais tarde, os sócios do sporting saberão o que tem acontecido nas negociações".

“no final destes 15 dias, temos já um trabalho faraónico realizado. os interesses do sporting estão acima de qualquer outro. nunca colocaremos a nossa assinatura em acordos que colidam com os interesses do clube”, afirmou o presidente, que pediu bom senso à banca para se chegar a resultados práticos o mais depressa possível.

confirmado está que o perdão da dívida não está em cima da mesa, ao contrário da notícia dos salários em atraso do mês de março, que não foram nem confirmados, nem desmentidos.

hugo.alegre@sol.pt