Politica

Cavaco: 'Segunda volta faria subir taxas de juro'

O candidato presidencial Cavaco Silva alegou hoje que uma segunda volta das presidenciais teria custos para todos os portugueses, «desde logo pela via da contenção do crédito e pela subida das taxas de juro».

«nós não podemos prolongar esta campanha por mais três semanas. os custos seriam muito elevados para o país e seriam sentidos pelas empresas, pelas famílias, pelos trabalhadores, desde logo, pela via da contenção do crédito e pela subida das taxas de juro», declarou cavaco silva, durante um almoço de campanha em felgueiras.

«arrastar esta campanha mais três semanas, por desviar as atenções daquilo que é essencial, lançaria custos acrescidos sobre todos os cidadãos portugueses. e é por isso que tenho apelado aos portugueses para que não fiquem em casa», completou o candidato presidencial apoiado pelo psd, cds-pp e mep.

nesta intervenção, o ainda presidente voltou a referir-se aos funcionários públicos, que este mês vão ver aplicados cortes aos seus salários. cavaco silva deixou-lhes palavras de apreço: «no próximo domingo vai ser escolhido aquele que deve estar muito atento às injustiças na distribuição dos sacrifícios que nesta fase de crise são pedidos aos portugueses, como é o caso dos servidores da função pública. merecem da nossa parte o maior respeito e a maior consideração».

antes, o democrata-cristão antónio lobo xavier, que é mandatário da sua candidatura para o distrito do porto, defendeu que nesta campanha presidencial há «cinco candidatos contra um», que «agrediram pessoalmente» cavaco silva, mas que este tem «um currículo cinco vezes superior» e «no domingo terá mais votos que eles os cinco juntos».

lusa / sol

 

lusa / sol