poesia

Hans Magnus Enzensberger. Vejam-se no espelho, covardes

Diogo Vaz Pinto