tacadasconfederacoes

Há Díaz assim. Só uma coisa não muda: no fim, ganha sempre a Alemanha

Bruno Venâncio