Desporto

As costas de ouro de Godín, uma mordidela à Suàrez e arrivederci Itália

Diego Godín, definitivamente, é "especial". O homem dos golos vitais. No final da época, marcou um golo decisivo de cabeça que deu o empate e o título espanhol aos colchoneros frente ao Barcelona, em Nou Camp. Hoje, Godín, já com a camisola do Uruguai vestida, voltou a ser decisivo. Que o diga a Itália. Faltavam oito minutos para o final do encontro quando Godín voltou a aventurar-se na área adversária, após um canto, e com as costas empurrou a bola para dentro da baliza de Buffon. O único golo do jogo. Estava consumado o apuramento do Uruguai para os 'oitavos' da Copa e o adeus precoce de Itália aos relvados do Brasil.

Os italianos só precisavam de um empate para garantir o primeiro lugar do Grupo D, mas certamente não contavam com o efeito 'Godín'. Acabaram eliminados na fase de grupos, tal como no Mundial-2010, na África do Sul. Os italianos não caíam nesta fase em dois Mundiais seguidos há 48 anos (1962 e 1966). E tornaram-se os terceiros campeões do mundo a despedirem-se do Brasil mais cedo, depois de Espanha e Inglaterra. Tal feito só em 2002 (Argentina, França e Uruguai).

Mérito para o Uruguai, que sobreviveu ao grupo da 'morte' e classificou-se em segundo lugar, atrás da Costa Rica, a surpresa da prova. Os uruguaios tiveram o percalço inicial com os costa-riquenhos (3-1), mas esmeraram-se perante a Inglaterra (2-0) e Itália (1-0).

O jogo começou morno, muita intensidade, mas poucas oportunidades de golo. Chegou a tornar-se duro, de parte a parte. Que o diga Arévalo Ríos, que sofreu uma entrada bastante violenta de Claudio Marchisio. Acabou expulso e abriu caminho à ofensiva do Uruguai. Suárez, qual vampiro, respondeu pouco depois à atitude italiana com 'unhas e dentes'. Neste caso só dentes. Ou terá sido uma cabeçada? As imagens não são esclarecedoras e sugerem várias interpretações. Certo é que o avançado do Liverpool insurgiu-se num 'sururu' com Chiellini, que fica a queixar-se de ter sido mordido.

Dois minutos depois, o talismã Godín deu as costas ao manifesto e após um canto deixou Buffon a olhar para as redes. O Uruguai foi mais feliz e apanhou o segundo bilhete do comboio para os 'oitavos', com a companhia da Costa Rica. O próximo embate de Maxi Pereira, Cristian Rodríguez – duas caras bem conhecidas do futebol português , e companhia está marcado para sábado, no Rio de Janeiro, frente ao vencedor do Grupo C. A Colômbia surge no radar.