Internacional

A bebé ariana ideal era judia

Alemanha, 1935. Vivia-se o auge da época nazi, um regime que defendia que a raça ariana era superior a todas as outras. Mais. Faziam-se, inclusive, concursos de beleza para eleger o bebé ariano ideal. 

A bebé ariana ideal era judia

E foi assim que a judia Hessy Taft, hoje com 80 anos, foi capa da revista de propaganda nazi Sonnie ins Haus (qualquer coisa como Raio de Sol na Casa). 

Ironia das ironias, os seus pais – músicos judeus estabelecidos na Alemanha e oriundos da Letónia - quiseram fazer umas fotografias de família e, para tal, chamaram o consagrado fotógrafo berlinense Hans Ballin, que na tentativa de ridicularizar as ideias do regime afecto a Hitler, enviou as fotos da judia Hessy Taft, na altura uma bebé de seis meses, para o dito concurso do ‘bebé alemão ariano ideal’. 

Entre 100 imagens, a sua foi a eleita pelo Departamento de Propaganda Nazi e circulou em postais para mostrar o seu bebé ‘modelo’. 

Hessy, hoje professora de Química na St. John’s University, em Nova Iorque, doou a capa dessa revista ao Museu do Holocausto, em Israel, e contou ao jornal Bild que agora já se pode rir da situação. “Mas se, na altura, os nazis soubessem quem eu era, provavelmente já não estaria viva”.  

filipa.moroso@sol.pt

Os comentários estão desactivados.