Sociedade

Universidade de Lisboa entre as 250 melhores do mundo

A Universidade de Lisboa está entre as 250 melhores instituições de ensino superior do mundo, tendo subido mais de cem lugares no Ranking de Xangai, que continua a ser liderado pelas universidades americanas de Harvard e Standford.

As seculares instituições de ensino norte-americano, Harvard e Stanford, continuam a ocupar os dois primeiros lugares do "Academic Ranking of World Universities", uma das mais prestigiadas avaliações feita às instituições de ensino superior pela Universidade Jiao Tong de Xangai.

Das mais de 1200 universidades analisadas, apenas 500 entram nesta lista, que este ano conta com três portuguesas: a Universidade de Lisboa, que fica próximo de um 200.º lugar; a Universidade do Porto e a de Coimbra (no grupo das 301-400 melhores e das 401-500 melhores, respectivamente).

A Universidade de Lisboa, que resultou da fusão entre a Técnica e a Clássica, é pela primeira vez avaliada como uma única instituição e sobe mais de cem lugares no ranking, pertencendo agora ao grupo que reúne entre as 201.º e as 300.ª melhores classificadas.

A lista só discrimina os lugares das universidades até ao 100.º lugar, criando depois grandes grupos (201-300; 301-400 e 401-500). No entanto, olhando para o gráfico percebe-se que a Universidade de Lisboa está entre as primeiras do seu grupo.

No ano passado, a Universidade Clássica ocupava uma posição algures entre o 301.º e o 400.º lugar e a Técnica entre o 401-500.

Já a Universidade de Coimbra, que entrou no ano passado pela primeira vez para o ranking, manteve-se inalterável em relação aos resultados conseguidos em 2013.

Além do ranking geral, Xangai faz também uma outra avaliação por grandes áreas do conhecimento e, neste campo, a Universidade de Lisboa surge no grupo das 76-100 melhores na área da Engenharia/Tecnologia e Ciências da Computação, seguindo-se depois a Universidade de Aveiro e a do Porto (ambas no grupo 151-200).

O ranking de Xangai é feito tendo em conta inúmeros itens, tais como o desempenho académico per capita mas também as citações de artigos científicos realizados por investigadores das universidades; o número de alunos e professores que receberam o Prémio Nobel ou o Fields Medals também é tido em conta assim como os artigos publicados nas publicações Nature e Science.

Os resultados do ranking da Universidade Jiao Tong de Xangai mostram que as instituições norte-americanas continuam a liderar, já que nas dez universidades melhor cotadas, oito são norte-americanas e duas britânicas (Cambrigde em 5.º e Oxford em 9.º). 

Tal como no ano passado, as universidades de Harvard e de Stanford aparecem em 1.º e 2.º lugar, seguindo-se o Massachusetts Institute of Technology (MIT), que recuperou o 3.º lugar que havia sido perdido em 2013 para a Universidade da Califórnia, Berkeley.

Entre as 500 melhores, 177 são americanas, 205 são europeias, 113 estão situadas na Ásia e Oceânia, havendo apenas cinco africanas. 

Lusa/SOL