Sociedade

Julgamento sumário para dois dos jovens detidos no Vasco da Gama

Dois dos detidos nos incidentes ocorridos na quarta-feira junto ao Centro Comercial Vasco da Gama, em Lisboa, vão ser julgados em processo sumário e duas jovens ficaram sujeitas a apresentações periódicas às autoridades, informou fonte da Procuradoria-Geral da República.


As duas jovens, indiciadas por posse de arma branca utilizada durante o roubo de um telemóvel e uns óculos a uma menor de 15 anos, foram interrogadas hoje no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa. Ficaram sujeitas à medida de coação de Termo de Identidade e Residência e apresentações uma vez por semana às autoridades, seguindo a investigação em processo comum.

Os dois jovens, detidos e libertados na quarta-feira, foram notificados para se apresentarem hoje no Tribunal de Pequena Instância Criminal de Lisboa, onde vão ser julgados em processo sumário às 14h30 de segunda-feira, 25 de Agosto, por resistência e coação a agente de autoridade.

Os quatro arguidos, com idades entre os 16 e os 23 anos, foram detidos durante uma desordem ocorrida na zona do Parque das Nações, que provocou ferimentos ligeiros em cinco polícias, tendo um jovem de 15 anos ficado com uma perfuração na zona lombar, após ter sido agredido com uma chave de fendas.

"Pelas 17h30, o grupo de jovens, estimado em cerca de 600 indivíduos, começaram a dispersar, abandonaram a Pala do Pavilhão de Portugal, preenchendo todo o passeio central da Alameda dos Oceanos, entre a 'Pala de Portugal' e a entrada do Centro Comercial Vasco da Gama. Grupos numerosos destes indivíduos acabaram por se envolver em alguns focos de desordem, com correrias constantes entre estes locais, que terminaram em confrontos entre dois grupos de participantes", explica a PSP, em comunicado hoje divulgado.

A nota acrescenta que, "repentinamente, dezenas de jovens invadiram os corredores do Centro Comercial Vasco da Gama e começaram a correr desenfreadamente", entrando em algumas lojas.

"A determinada altura foi feito um varrimento pela polícia que, com um dispositivo de perto de 40 efectivos, conseguiu afastar os jovens do interior do centro", indicou na quarta-feira fonte do Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis) da PSP.

Contactado pela Lusa, o Cometlis refere que, tendo em conta os incidentes ocorridos, vai haver um reforço da atenção e da monitorização deste tipo de encontros marcados através das redes sociais que cheguem ao conhecimento da polícia.

Lusa/SOL