Tecnologia

A Apple já mostrou o novo iPhone. Ou os novos

Tim Cook, actual CEO da Apple Inc., entrou no Flint Center, em Cupertino (Califórnia) com um anúncio forte: “Today, we are pleased to announce the biggest advancement in iPhone [o maior pulo no iPhone]”.


E não está muito longe da verdade. 

O iPhone 6 e o Plus serão colocados à venda com um preço a partir dos 199 dólares para a versão de 16GB; 399 dólares para 64GB e 499 dólares para 128GB.

Isto nos EUA, cuja distribuição começa no dia 19 de Setembro – também para mais oito países (Canadá, França, Alemanha, Austrália, Hong Kong, Singapura e Japão).

Para Portugal, e mais 115 países, espera-se que estejam disponíveis até final do ano. 

 

O iPhone 6 tem um ecrã com mais de um milhão de pixéis. E o iPhone 6 Plus chega com mais de 2 milhões de pixéis.

 

 

 

 

O iPhone 6 Plus tem uma resolução de 1920 por 1080 com 401 pixéis por polegada. Ou seja, resolução full HD 1080p.

O iPhone 6 tem uma resolução de 1334 por 750 com 326 pixéis por polegada. Mais de 720p retina.

O iPhone 6 tem um ecrã de 4.7 polegada, enquanto o iPhone 6 Plus tem um ecrã de 5.5 polegadas.

 

Ambos os modelos do iPhone 6 têm ecrã Retina. E um processador 50 vezes mais rápido.

 

As câmaras do iPhone 6 e 6 Plus também sofrem uma evolução com a nova 8MP iSight.

Os dois iPhone vêm já com o novo iOS 8, cujo download pode ser feito a partir do dia 17 de Setembro. E é compatível a partir do iPhone 4s e do iPad 2.

A bateria dos novos iPhone vai continuar praticamente na mesma, mas o iPhone 6 Plus vai ter uma ligeira melhoria.

Outro dos momentos altos foi a apresentação do Apple Pay.

A Apple criou um processo de pagamento “inteiramente novo”, segundo Cook. A que deu o nome de Apple Pay.

Baseia-se na tecnologia sem fios de curto alcance NFC (near-field communicator) e em Touch ID, permitindo apenas o pagamento com a impressão digital do utilizador do telefone. "Para deitar a carteira e os cartões fora". Já há acordos, nos EUA, com MasterCard, Visa e American Express. E pronto a usar em cadeias como McDonald's, Sephora ou Whole Foods.

Segundo a revista Forbes, "vai oficialmente matar o cartão de crédito"

Foram várias as homenagens a Steve Jobs. Uma delas foi a célebre frase utilizada pelo co-fundador da Apple Inc. "Só mais uma coisa".

 

 

 

 

Em Cupertino também foi altura de apresentar o novo relógio. O tão ansiado iWatch, que afinal não se chama assim - mas Apple Watch.

Os ecrãs são completamente ajustáveis para poderem ser usados como o utilizador quiser. Trabalha juntamente com o iPhone. E serve também como acessório de saúde e de exercício físico.

Tim cook: “O Apple Watch é o aparelho mais personalizado que nós já criámos”.

 

 

 

 

 

 

E sim, citando o site oficial da marca ("a música está no ADN da Apple"), os U2 foram a banda escolhida para subir ao palco do Flint Center.

E como não podia deixar de ser - um exclusivo. 

O novo álbum dos U2 no iTunes dos 119 países.

 

 

 

SOL

Os comentários estão desactivados.