Cultura

Luís Buchinho apresenta ‘Happy Hour’ em Paris

O criador português Luís Buchinho levou hoje a Paris a sua colecção Primavera/Verão 2015, intitulada "Happy Hour", sem uma única calça e feita sobretudo de saias e vestidos.

No berço histórico da Biblioteca Nacional de França, numa galeria com um chão de mármore em tons rosados e um tecto decorado com relevos de estuque e com um fresco de um templo romano, as modelos transformaram-se nas ‘musas’ de Luís Buchinho, com um calçado a evocar as sandálias aladas do deus Mercúrio.

"As silhuetas querem-se todas com muita perna, através de silhuetas curtas ou através de transparências nas pernas, como é o caso de saias transparentes usadas sobre mini-shorts que dão um pouco a alusão ao biquíni e ao fato-de-banho", declarou o criador portuense, antes do desfile, realizado à margem do calendário oficial da semana da moda de pronto-a-vestir da capital francesa, que se prolonga até 1 de Outubro.

O designer, que cumpre 24 anos de carreira, apresentou uma colecção "muito sofisticada mas com um toque um pouco desportivo", sugerido pelos fatos-de-banho em malha tricotada, em contraste com uma abundância de folhos mais femininos e arquitecturais a darem fluidez às silhuetas.

Luís Buchinho é fiel ao seu ADN criativo e volta a apostar nas linhas diagonais, nas sobreposições e nas ilusões de óptica, com saias que tanto cobrem quanto descobrem e com "rendas que são sobrepostas a tecidos lisos e opacos", dando a impressão de que se trata de materiais estampados.

As transparências são omnipresentes e há uma "paleta de cores muito fresca em tons sorvete e em tons um pouco cocktail", continuou o criador, sublinhando a presença dos vários verdes, de alguns tons rosados e do azul céu para criar "uma paleta bastante clara e bastante leve".

O objectivo é evocar aquilo que o verão pode "oferecer no seu expoente máximo de diversão, de um estado de espírito leve, de algo sem stress, com uma dose de diversão e de humor muito presente", descreveu, acrescentando que faz "um pouco o contraponto entre o vestuário de banho e os vestidos cocktail como se houvesse uma festa onde ambas as silhuetas se mostrassem".

Orientada para o verão está também a escolha dos tecidos, com materiais estruturados, como tafetá de seda, e outros mais flexíveis, como a malha de viscose e seda, cruzados com rendas em jogos de transparência, através de organzas e chiffons aplicados.

 

Na segunda-feira, foi apresentada a colecção de Fátima Lopes, no cabaré Lido. Também neste caso a colecção foi apresentada à margem do calendário oficial da semana de pronto-a-vestir da capital francesa, onde ambos os criadores estão com o apoio do Portugal Fashion.

Luís Buchinho participou ainda no salão dos designers de moda Tranoï, que terminou na segunda-feira e que contou também com a criadora Susana Bettencourt.

"Foi muito bom. Já tínhamos feito a Tranoï em Montaigne [junto aos Campos Elísios], que é um ambiente um pouco diferente, agora estamos a fazer a Tranoï do Louvre e achámos que é uma feira com mais movimento e em termos de público e de compradores acabámos por atingir um leque mais diversificado", concluiu.

Esta é a 30.ª participação do Portugal Fashion na Semana de Pronto-a-Vestir de Paris, tendo também levado à capital francesa Carla Pontes, Daniela Barros, João Melo Costa e Teresa Abrunhosa para o showroom comercial do Fashion Scout Paris, uma plataforma dedicada à captação de novos nomes da moda internacional.

O Portugal Fashion, organizado pela Associação Nacional de Jovens Empresários, decorre entre 22 e 25 de Outubro, com arranque marcado para Lisboa, seguindo depois para o Porto.

Lusa/SOL