Vida

Mulher com cancro impedida de andar de avião

Uma mulher com um cancro foi impedida de viajar de avião porque não tinha uma autorização médica.

Elizabeth Sedway sofre de mieloma múltiplo e teve de faltar a uma sessão de quimioterapia, na passada terça-feira, na Califórnia, nos Estados Unidos - onde mora - porque a Alaska Airlines não a deixou viajar.

A californiana publicou, no dia 7, um vídeo do incidente no Facebook. Nas imagens, pode ver-se o marido de Elizabeth e os dois filhos a serem retirados do avião. A mulher explica que está a ser tratada como se fosse uma criminosa por não ter uma autorização médica.

“Será que ninguém se questiona como é que cheguei ao Havai?”, afirma. Elizabeth parece ainda estar a chorar e, à medida que vai saindo do avião, recebe palavras de apoio de vários passageiros.

Numa nota a acompanhar o vídeo, refere que estava na porta de embarque para o voo da Alaska Airline, quando uma hospedeira de bordo a viu sentada no lugar reservado para pessoas com mobilidade reduzida e lhe perguntou se precisava de alguma coisa. Inicialmente disse que não, mas depois respondeu que talvez fosse precisar de mais algum tempo para entrar no avião porque, por vezes, sentia-se fraca.

A hospedeira acabou por chamar um médico, que disse estar ligado à companhia aérea, mas foi só quando a família já estava no avião, que um representante da Alaska Airline se dirigiu até ela e lhe disse que não podia voar se não tivesse uma autorização médica.

Segundo a TIME, Elizabeth nunca teve problemas em viajar de avião, desde que foi diagnosticada com um cancro há cinco anos. Devido a este incidente, a californiana não foi a uma sessão de quimioterapia, o seu marido teve de faltar ao emprego e os filhos à escola.

A companhia aérea já veio a público pedir desculpas pelo incidente, acrescentando que irá cobrir todas as despesas da família – tantos os bilhetes de avião como as despesas de alojamento pela noite extra que tiveram de passar no Havai.

Elizabeth fez ontem um novo post na sua página de Facebook, a dizer que vai doar o dinheiro que recebeu da Alaska Airlines a uma fundação que faz pesquisa sobre mieloma múltiplo.