Sociedade

História da portuguesa que perdeu a vida no atentado da Tunísia

Maria Glória Moreira, de 76 anos, estava a habituar-se à sua vida sozinha depois de, há dois anos, o marido ter morrido. Após década e meia de férias na Tunísia em casal, aventurou-se pela primeira vez numa viagem sozinha, como contou à SIC o genro da única portuguesa entre as vítimas mortais do atentado de ontem em Sousse.


A antiga professora de Vila Nova de Gaia escolheu aquele país por estar familiarizada e sentir-se segura naquelas unidades hoteleiras.  “A família estava toda muito contente, era sinal que ela estava reviver”, disse o genro à SIC, que relata que nas vezes que Maria Glória tinha falado com os familiares estava entusiasmada, já tinha feito amigos e nunca partilhou qualquer sinal de insegurança vivido naquela região.

A portuguesa foi transportada para o Hospital de Tunes e autopsiada esta manhã.