Vida

Goucha esclarece ‘algumas mentiras’

O apresentador de televisão Manuel Luís Goucha usou o seu blogue para esclarecer alguns pontos da sua vida profissional.

DR  

“Mais um lote de imagens de um passado distante que me leva a lembrar nomes e factos. E talvez se esclareçam, de uma vez por todas, algumas mentiras que, na altura, deram jeito a uns quantos. E logo a mim que só me interessa o futuro”, escreveu.

Goucha começou por falar sobre o facto de muitos dizerem que se incompatibilizou com a apresentadora Sónia Araújo, quando ambos trabalhavam na ‘Praça de Alegria’.

“Deixei o Praça da Alegria há doze anos e ainda hoje sou confrontado com perguntas do género: “voltaria a trabalhar com a Sónia, apesar de terem ficado zangados?”. E eu pasmo perante uma mentira repetida inúmeras vezes que se enraizou como verdade. É sempre assim! Nunca houve zanga alguma entre nós. A minha saída do programa deveu-se a ter trocado de estação e isso terá, na altura, certamente incomodado a minha colega, por nada ter sabido acerca das negociações em curso, entre mim e a TVI (só os interessados sabiam, o segredo é a alma do negócio)”, lê-se no blogue

“Perante a minha saída inesperada teve de assumir, pela primeira vez, o comando da emissão e fê-lo de tal forma que não mais o deixou, ainda que partilhando-o com Jorge Gabriel. Nascia assim uma dupla de primeira linha, inevitavelmente ligada ao programa das manhãs da televisão pública. Lembro-me desse primeiro dia em que a Sónia apresentou o programa, eu havia-me despedido dos espectadores com um “até amanhã”. Impedido de regressar no dia seguinte, por já ter assinado com a TVI, a Sónia começou o programa daquela terça-feira com a frase, nítida e compreensivelmente encomendada, “O Manuel Luís Goucha abandonou a Praça da Alegria”. A bomba estava lançada”, escreveu.

“Foi curioso verificar, dez anos depois, quando o João Baião saiu da RTP, por ter assinado pela SIC, que o tenham deixado permanecer no programa da manhã por mais uma ou duas semanas para se despedir dos espectadores e da colega (outros tempos e outras cabeças). Por outro lado começou a surgir um “diz que disse”, em alguma imprensa, sobre uma presumível má relação de trabalho entre mim e a Sónia. Porque é que nunca lhe perguntaram se era verdade? Macular a minha imagem profissional interessava à RTP/Porto da altura, preocupada com uma hipotética deslocação de audiências, que aliás não se veio a verificar. O público entendeu a minha saída do “Praça da Alegria” como uma traição e eu levaria ainda alguns anos a conquistar, de novo, a preferência dos espectadores da manhã, agora ao lado da Cristina”, concluiu Manuel Luís Goucha.