Sociedade

Brasileiros deprimidos por terem de regressar devido à crise em Portugal

Brasileiros em situação financeira precária devido ao desemprego em Portugal e que recorrem ao Programa de Retorno Voluntário da Organização Internacional para as Migrações (OIM) estão a sofrer de depressão, alerta uma psicóloga de uma associação lusófona.

«é principalmente a depressão que aparece e, em alguns casos, surge alguma desagregação mental, que provavelmente nunca aconteceria se estivessem junto dos familiares, no local onde cresceram, perto das suas referências», declarou à agência lusa alcione scarpin, psicóloga que atende os brasileiros indicados pela associação lusofonia, cultura e cidadania (alcc).

segundo dados da oim, em 2011, 2114 pessoas candidataram-se ao programa de retorno voluntário (prv). os brasileiros (que são 119.363 em portugal, segundo o serviço de estrangeiros e fronteiras - sef) lideram a lista representando 84,2 por cento das candidaturas ao prv, percentagens superiores às registadas nesta comunidade em 2010.

a advogada vanessa bueno, que presta apoio jurídico a imigrantes lusófonos na alcc, revelou que grande parte dos brasileiros que recorrem ao prv são, sobretudo, adultos solteiros, ilegais e que estão com imensas dificuldades em arranjar emprego, diante do atual quadro de crise económica em portugal.

«a maioria dos casos (para o prv) que atendemos na associação é considerado prioritário. são pessoas que estão em casas de apoio, abrigos e há ainda situações de mães com filhos pequenos sem condições para manter uma casa. são situações extremas, ocorrendo alguns casos também de doenças graves» referiu vanessa bueno.

a advogada acrescentou que na alcc os imigrantes lusófonos preenchem uma ficha de inscrição para o prv e depois é feita uma triagem, indicando a oim quais são os casos prioritários.

alcione scarpin indicou que há dois grupos que são mais vulneráveis aos problemas psicológicos decorrentes da precária situação financeira: «os jovens adultos que estão sozinhos em portugal e famílias com crianças pequenas».

a psicóloga indicou que os brasileiros têm o objectivo de emigrar para dar melhores condições de vida às famílias no brasil, entretanto, quando esse ideal cai por terra, «cria-se um sentimento de vazio, frustração, de insucesso, o que proporciona a ocorrência de casos de depressão».

por outro lado, a advogada vanessa bueno afirmou que os brasileiros querem voltar para o seu país somente porque não têm como se manter economicamente em portugal.

«o facto de ouvir que o brasil está muito bom e aqui está muito mal (financeiramente) faz com que os brasileiros pensem também nessa questão do retorno», sublinhou ainda a advogada.

a presidente da alcc, nilzete pacheco, disse acreditar que o número de brasileiros a deixar portugal aumentou devido ao desemprego, seja através do prv, por recursos próprios ou ajuda de familiares.

gerido pela oim, em colaboração com o serviço de estrangeiros e fronteiras (sef), e financiado pelo fundo europeu de regresso (em 75 por cento) e pelo estado português (em 25 por cento), o prv financia a viagem de regresso do imigrante (o preço médio ronda os 900 euros) e atribui-lhe ainda 50 euros de dinheiro de bolso para despesas.

o programa impõe um período de interdição de três anos, que obriga os imigrantes que dele beneficiaram a, se voltarem a portugal, ressarcirem o estado no valor que lhes foi pago.

lusa/sol