Vida

Cidade paga indemnização a mulher multada por ser seropositiva

A cidade de Dearborn, no estado de Michigan (EUA), vai ter de pagar cerca de 36 mil euros a uma mulher que foi multada por ser portadora do vírus da SIDA.


Shalandra Jones, de 43 anos e natural de Detroit, processou a cidade em 2012, mas chegaram agora a um acordo que estipulou o pagamento da indemnização.

O incidente, que ocorreu nesse mesmo ano, foi filmado pela câmara de segurança do carro da polícia. O agente David Lacey mandou parar o carro, conduzido por um amigo de Jones, numa operação stop e descobriu marijuana no carro, juntamente com um cartão médico que lhe dava autorização para consumir a droga, mas que tinha expirado.

Segundo a imprensa local, citada pelo Independent, quando Jones confessou que era portadora do vírus da SIDA, o agente irritou-se e disse que “não queria levar doenças para casa e transmiti-las à sua família” e que “a polícia não gostava de pessoas com HIV”.

Afirmou ainda que se a mulher tivesse dito logo que era seropositiva não teria sido multada. “Sinceramente, se não fosse por isso, acho que não teria passado uma multa. Mas isso irritou-me bastante. Sabe o que isso significa? Tem de me dizer logo porque, na altura, eu não estava a usar luvas”, afirmou o agente.

Segundo o New Daily News, o agente acabou por passar uma multa ao condutor por conduzir sem carta e por ter uma luz traseira partida – o motivo inicial que levou o agente a mandar parar o carro.

Lacey continua a trabalhar no departamento da polícia de Dearborn e não foi alvo de um processo disciplinar.