Vida

Pedófilo escreve carta a explicar porque é que não é ‘um monstro’

Um pedófilo norte-americano decidiu escrever uma carta aberta a explicar porque é que não é um monstro.

Todd Nickerson usa esta carta para defender que a pedofilia é uma “orientação sexual”, afirmando que existe uma diferença entre pedófilos e abusadores de crianças. Ele diz que os pedófilos “sofrem em silêncio” e que as pessoas têm de “aprender a aceitá-los”.

“Quando se confessa uma atração sexual por crianças, estamos a assumir que pertencemos ao grupo mais insultado do planeta, grupo esse que acaba com as hipóteses de termos uma vida normal”, escreveu na carta, publicada no site norte-americano Salon.

“Este tabu faz com que tenhamos de nos manter escondidos, o que torna impossível saber quantos pedófilos não abusadores existem. Mas existem vários sinais que indicam que somos muitos a sofrer em silêncio”, acrescenta.

Todd afirma que as pessoas não devem encarar os pedófilos como predadores, já que muitos não vão agir de acordo com os seus impulsos. Este homem acredita que se tornou pedófilo depois de ter sido abusado sexualmente por um amigo da família. Tinha apenas sete anos.

“Quando tinha 13 anos, comecei a aperceber-me de que o que achava ser uma fase passou a ser algo sólido e problemático. Acho que posso dizer que muitos pedófilos têm a sensação que são inferiores, ou pelo menos sentiam durante a puberdade”.

Todd afirma que nunca tocou numa criança nem viu pornografia infantil. Ele gere os seus impulsos com a ajuda de um fórum para pedófilos, onde trabalha como moderador.

Para ler a carta completa, clique aqui.