Economia

BCP passa de prejuízo a lucro de 264,5 milhões até setembro

Após quatro anos de prejuízo, o BCP regressou aos lucros, tal como previsto no Plano Estratégico da instituição. 

De acordo com a apresentação de contas dos primeiros nove meses do ano, o Millennium bcp obteve um lucro de 264,5 milhões de euros, o que compara com um prejuízo de 109,5 milhões no mesmo período do ano anterior.

Os resultados da instituição beneficiaram com o aumento da margem financeira e os ganhos em operações financeiras associadas à venda de dívida pública portuguesa.

No comunicado enviado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a instituição explica que o lucro reflete o desempenho positivo do negócio bancário, o controlo dos custos e o menor nível de dotações para perdas de imparidades e provisões.

A atividade doméstica passou de um prejuízo de 227,1 milhões de euros para um resultado positivo de 100,5 milhões. Já o contributo da atividade internacional recuou ligeiramente de 151,7 milhões para 149,3 milhões.

Ao nível internacional, os resultados beneficiaram também do desempenho positivo da margem financeira e dos resultados em operações financeiras nas subsidiárias em Angola e Moçambique.

“A margem financeira ascendeu a 956,7 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2015, traduzindo um aumento de 20,9% face aos 791,0 milhões de euros relevados em igual período de 2014”, refere a apresentação de contas. Também as comissões líquidas totalizaram 520,3 milhões de euros, mais 2,8% face a setembro de 2014.

Os resultados em operações financeiras ascenderam a 554,1 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2015, evoluindo favoravelmente face aos 357,2 milhões de euros registados no período homólogo de 2014, beneficiando dos ganhos realizados com a venda de dívida pública portuguesa na atividade em Portugal, no decurso do primeiro e do segundo trimestres de 2015.

Em matéria de custos, o BCP diz continuar a reforçar as iniciativas já implementadas na contenção de gastos, que diminuíram 3,8% para 825,4 milhões de euros.

O crédito a clientes reduziu-se 3,2% para 56 mil milhões, enquanto os recursos registaram um aumento de 0,5%.

O valor reservado para imparidades ascendeu a 745,4 milhões de euros até setembro, uma melhoria em relação aos 1.017,5 milhões de euros do mesmo mês do ano anterior.

Em termos de solidez, a instituição atingiu um rácio de 13,2%, mais 0,4 pontos percentuais do que há um ano.

Menos 711 colaboradores

No final de setembro deste ano, o BCP contava com 7.555 colaboradores, o que representa uma redução de 8,6% ou menos 711 funcionários face ao quadro de 8.266 de setembro de 2014.

Recorde-se que, além da redução de colaboradores, o Millennium bcp implementou medidas temporárias de redução salarial.

O redimensionamento da rede de sucursais em Portugal levou ao fecho de 42 balcões no espaço de um ano. 

sandra.a.simoes@sol.pt