Sociedade

Isaltino Morais regressou em segredo à maçonaria

Pouco depois de, em junho deste ano, ter saído da prisão, onde esteve 427 dias, Isaltino Morais foi reintegrado na Grande Loja Legal de Portugal. E desde setembro lidera mesmo a Loja Mercúrio, uma das mais influentes da maçonaria. Todo este episódio é relatado no livro o Fim dos Segredos, da jornalista Catarina Guerreiro.

 


O antigo presidente da Câmara Municipal de Oeiras tinha saído da maçonaria a 1 de abril de 2014, pouco antes de ser preso. Neste verão de 2015, após ser libertado, voltou a entrar em segredo naquela loja maçónica.

A sua ida a um templo da GLLP, não foi pacífica dentro da obediência. Uns consideravam que devia esperar mais um tempo, outros apoiavam o regresso imediato de Isaltino Morais. Numa sessão liderada pelo engenheiro Luís Castro, o ex-autarca foi então perdoado pelos ‘irmãos’.

Como relata o livro, lá dentro deram início ao ritual. Isaltino voltou a ser maçon. Pouco tempo depois foi mesmo escolhido para assumir o lugar de líder do grupo. E no passado dia 20 de setembro foi a uma reunião secreta no Hotel Altis, em Lisboa, onde o grão-mestre Júlio Meirinhos deu posse aos veneráveis de várias lojas da Grande Loja Legal de Portugal.

No dia seguinte fez a primeira reunião da Loja Mercúrio como líder. O antigo grão-mestre José Moreno, o socialista Emanuel Martins e o arquiteto Tomás Taveira foram alguns dos presentes. A meio da sessão, Isaltino fez um discurso para falar dos tempos em que esteve preso e agradecer toda a solidariedade que sentiu. 

Os comentários estão desactivados.