Cultura

A força está com a cultura pop

O carro das viagens no tempo da trilogia Regresso ao Futuro, uma nave espacial da saga Guerra das Estrelas em tamanho real e um capacete gigante do novo episódio da saga são algumas das principais atrações da segunda edição da Comic Con, que decorre entre hoje e domingo na EXPONOR, em Matosinhos. Trata-se da maior convenção de cultura pop jamais realizada em Portugal, com 45.000 m2 dedicados aos mundos da banda desenhada, cinema, televisão e videojogos e a presença de estrelas de Hollywood. Após ter recebido 32.697 visitantes no ano passado, o objetivo dos organizadores é agora superar essa marca e consolidar o evento.

“Se não conseguirmos ultrapassar o número, ficaremos na mesma satisfeitos porque o evento cresceu muito além do que era previsto. A dada altura, o maior problema tornou-se ter espaço”, revelou o diretor geral Paulo Cardoso, na conferência de imprensa de apresentação do evento. Ao contrário de 2014, toda a área disponível da EXPONOR estará reservada para o evento, que tem metas ambiciosas: chegar aos 100.000 visitantes até 2018, contando com o mercado português e espanhol, e estabelecer-se como uma das maiores convenções do género “a nível europeu”.

Para atrair tanto público, a presença de várias estrelas internacionais em ações de contacto direto como os fãs é determinante. O cabeça de cartaz seria Jason Momoa, o Khal Drogo de A Guerra dos Tronos, mas a sua presença foi entretanto desmarcada. Em contrapartida, estarão em Matosinhos Nathalie Emmanuel, a Missandei da mesma série, John Noble, ator de O Senhor dos Anéis, vários membros do elenco de Teen Wolf e as atrizes Shannon Elizabeth e Tara Reid, de American Pie.


Um fenómeno global

O que fazem os fãs, a maior parte deles jovens, e tantas personalidades do mundo do entretenimento fechados num centro de congressos durante várias horas? Pode parecer uma opção estranha, mas para grande parte dos participantes basta um autógrafo ou um cumprimento para fazer o dia valer a pena. “A primeira reclamação que tivemos no ano passado, por causa de uma fila, foi de uma neozelandesa. Descobrimos que estava cá para um meet-and-greet de um minuto com a atriz Morena Baccarin. Quando ela soube, esteve 45 minutos com a senhora”, recorda Paulo Cardoso, que nega a ideia de a Comic Con ser para geeks e nerds, ou seja, para os ‘cromos’. “Aqui promovemos tudo o que se faz na cultura pop”, frisa.

As Comic Cons são um formato originário dos Estados Unidos e que, como o próprio nome indica, cresceram de pequenas convenções de banda desenhada até grandes formatos mais abrangentes. Hoje realizam-se em várias partes do mundo, mas a versão mais prestigiada tem lugar em San Diego, na Califórnia, onde as 130.000 entradas esgotam em minutos. Em Portugal a oferta ainda não é tão grande, mas entre painéis de discussão, sessões de autógrafos, jogos, workshops e exposições, o público terá de fazer opções.

Os bilhetes diários custam dez euros para as crianças dos seis aos 12 anos, entre 23,5 e 25 euros para os adultos e um passe para todo o fim de semana fica por 50 euros.