Internacional

Irão. Presidente Rouhani consegue vantagem nas eleições

Os apelos dos moderados e reformadores foram ouvidos e a paisagem política no Irão mudou, reforçando o poder do presidente Hassan Rouhani que promove uma política de abertura ao ocidente.

Em Teerão, com 90% dos votos apurados, a lista pro-Rouhani conseguiu eleger os 30 deputados da capital. O principal candidato dos conservadores, Gholamali Haddad-Adel – que tem laços familiares com o Líder Supremo, aiatola Ali Khamenei –, acabou por ficou no 31.º lugar e, consequentemente, fora do parlamento.

Fora da capital os resultados não são tão expressivos, mas foram suficientemente bons para que se preveja que os candidatos apoiados pelos reformadores, pelos conservadores moderados e pelos independentes consigam uma maioria em relação aos conservadores da linha dura. Num facto inédito, 20 mulheres deverão tomar assento como deputadas.

E as mudanças não aconteceram apenas no parlamento. Na votação para o Conselho de Peritos, que elege o Líder Supremo, a vantagem também vai para os candidatos da linha de Rouhani. Resultados preliminares mostram um avanço do aiatola Akbar Hashemi Rafsanjani, um importante aliado do presidente.

Os resultados finais só deverão ser conhecidos na quinta-feira, mas o ministro do Interior já avançou que os dados apontam para uma participação de mais de 60% dos 55 milhões de eleitores registados, o que também constitui uma vitória do presidente Rouhani.

“Os reformistas não conseguiram esta vantagem por terem mais candidatos a entrar no parlamento – muitos foram desqualificados – mas por causa das alianças que fizeram com outros campos políticos”, explica o “Guardian”. O jornal adianta ainda que, apesar dos indicadores, a configuração precisa do novo parlamento demorará a ser compreendida já que muitos candidatos não são conhecidos e porque até poderosos conservadores agora apoiam Rouhani. “Alguns deles são como as melancias” disse ao jornal um comentador aliado com os reformadores, “só quando se abrem é que se percebe o que lá está dentro”.

O sucesso da linha pro-Rouhani é em grande parte fruto do envolvimento do antigo presidente Mohammad Khatami, um dos líderes reformistas, Banido da comunicação social, tem usado a internet para se manifestar.