Cultura

Encontrados descendentes vivos de Leonardo da Vinci

     

Ao contrário do que se pensava, existem descendentes vivos de Leonardo da Vinci.

A revelação foi feita esta semana numa conferência de imprensa, em Florença (Itália), por Alessandro Vezzosi, diretor do Museu Leonardo da Vinci, e Agnese Sabato, lê-se no jornal italiano La Stampa.

Os historiadores, que afirmam ter reconstruído a árvore genealógica do pintor e matemático, basearam a sua investigação em documentos encontrados em Itália, França e Espanha, uma vez que não tiveram acesso a provas de ADN – o corpo de Leonardo da Vinci perdeu-se no século XVI.

Foram encontrados 35 descendentes, entre os quais o cineasta italiano Franco Zeffirelli, realizador do filme "Romeu e Julieta" (1968).

Giovanni Calosi, outro dos descendentes, recorda que a mãe falava em cartas e documentos que só se conseguiam ler através de um espelho, técnica muito usada pelo mestre do Renascimento italiano.

“Achávamos que era uma lenda, que foi passando de geração em geração, mas afinal era verdade”, explicou Giovanni. “Nunca demos muita importância, por isso os documentos perderam-se ou foram vendidos”.

Vezzosi e Sabato, que deram início a esta investigação em 1973, querem agora encontrar o ADN de Leonardo da Vinci, através dos seus descendentes.