Cultura

Carta de Pero Vaz de Caminha sai da Torre do Tombo

    

É um dos documentos centrais da Expansão portuguesa e um dos tesouros da Torre do Tombo. A ‘Carta a El-Rei Dom Manuel sobre o Achamento do Brasil’, da autoria de Pero Vaz de Caminha, escrivão da armada de Pedro Álvares Cabral, estará exposta, a partir de dia 26, em Belmonte, concelho de Castelo Branco, numa saída rara do arquivo da capital.

O texto, de 1500, contém a primeira descrição do Brasil e das suas gentes. «Também andavam entre eles quatro ou cinco mulheres, novas, que assim nuas, não pareciam mal. Entre elas andava uma, com uma coxa, do joelho até o quadril e a nádega, toda tingida daquela tintura preta; e todo o resto da sua cor natural. Outra trazia ambos os joelhos com as curvas assim tintas, e também os colos dos pés; e suas vergonhas tão nuas, e com tanta inocência assim descobertas, que não havia nisso desvergonha nenhuma. Todos andam rapados até por cima das orelhas; assim mesmo de sobrancelhas e pestanas», escreveu Pero Vaz de Caminha.

A exposição, que estará patente ao longo de seis meses na Sala Pedro Álvares Cabral, no Castelo de Belmonte, conta também com obras cedidas pelo Museu de Arte Antiga e a Fundação Medeiros e Almeida, assim como um ‘tapete sonoro’ criado para a ocasião.

Nas palavras de André de Quiroga, o comissário, «a Carta é um relato do encontro entre uma civilização em que o peso do material começa a sentir-se perante um mundo onde as pessoas vivem de uma forma despojada e em sociedades pouco hierarquizadas e próximas da Natureza».

O documento foi inscrito no Programa Memória do Mundo da UNESCO.