Desporto

Atleta americano que alegava ter sido assaltado no Rio paga 9.500 euros para sair do país

Um dos nadadores norte-americanos que esta semana alegaram ter sido vítimas de um assalto no Rio de Janeiro chegou a acordo com as autoridades brasileiras e vai pagar 9.500 euros para sair do Brasil.

O grupo de quatro nadadores olímpicos dos Estados Unidos da América alegou ter sido vítimas de um assalto que afinal nunca existiu.

A polícia esclareceu que os atletas se envolveram numa altercação numa bomba de gasolina, tendo destruído a porta do espaço. Depois de terem sido obrigados a pagar o valor da porta destruída, os nadadores alegaram que foram assaltados.

Quando o escândalo foi tornado público, Ryan Lochte, um dos nadadores envolvidos, já tinha regressado aos EUA, mas os outros foram retidos no Brasil.

Os nadadores estão indiciados por falsa comunicação de crime.

Agora, o advogado de um dos nadadores revelou que chegou a acordo com a Justiça brasileira para pagar uma multa de 35 mil reais (9.500 euros) para abandonar o país.

O dinheiro vai reverter a favor de uma instituição de solidariedade.