Sociedade

Português acusado de raptar sogra do magnata da Fórmula 1

Aparecida Schunk foi raptada a 22 de julho

DR  

Jorge Faria, português naturalizado brasileiro depois de ter emigrado para aquele país há 25 anos, está a ser julgado no Brasil por ter chefiado o rapto da sogra de Bernie Ecclestone, o magnata britânico da Fórmula 1.

Segundo o jornal Correio da Manhã, Jorge Faria vendia brigadeiros à porta do Estádio da Luz e tinha uma pastelaria no Parque das Nações, estabelecimento que fechou na semana passada.

No Brasil, Jorge Faria era um conceituado piloto de helicópteros do jet-set de São Paulo e transportava Ecclestone sempre que este ia ao Brasil. Terá sido este homem que chefiou o rapto de aparecida Schunk, sogra de Ecclestone.

Aparecida, de quem Jorge era amigo no Facebook, foi raptada a 22 de julho, numa operação que envolveu seis homens. Os raptores exigiam um resgate de 33 milhões. Nove dias após o sequestro, Aparecida, de 67 anos, foi resgatada pela polícia sem que o resgate tivesse sido pago.

O indivíduo foi detido no passado dia 1 de agosto pela polícia brasileira na sua casa, em São Paulo. Tinha regressado a Portugal em 2014, com a mulher e os dois filhos, depois de ter sido indiciado por furto de um helicóptero. No ano passado abriu a sua pastelaria em Lisboa, negócio que encerrou na semana passada, depois de a mulher ter avisado que não regressaria a Portugal.