Vida

Cadeia de lojas deixa de vender marca de filha de Trump

Empresa diz que decisão tomada nada tem a ver com o descontentamento relativamente ao novo presidente dos EUA 

Uma das lojas mais populares dos Estados Unidos, a cadeia de lojas Nordstrom, enviou um comunicado na passada quinta-feira a anunciar que ia deixar de vender, quer nos seus espaços físicos como no seu website, a marca de Ivanka Trump, que inclui roupa, calçado e acessórios.

A empresa explicou que a decisão foi tomada devido à descida das vendas em relação à marca da filha de Donald Trump, que a imprensa tem mencionado como sendo um “boicote”, por parte dos cidadãos descontentes com a política do novo presidente dos EUA.

 “Sempre dissemos que tomamos decisões de negócio com base nas vendas. Neste caso, olhando para a performance que a marca tem tido, decidimos não comprar nenhum artigo nesta temporada”, adiantou a porta-voz da Nordstrom à revista ‘Fortune’.

No Twitter, a empresa também quis deixar bem claro que não se trata de uma decisão política o facto de acabar com a venda dos produtos de Ivanka, “Esperamis que a venda de produtos de outros não seja encarada como uma posição política da nossa pate”, dizia a mensagem partilhada.

Também numa mensagem divulgada no Twitter, a empresa quis deixar claro que não se trata de uma decisão política terminar esta parceria com Ivanka, que dura há seis anos. “Esperamos que a venda de produtos de outros não seja encarada como uma posição política da nossa parte”, dizia a mensagem.