Internacional

Esquerda tenta geringonça em França

O candidato socialista, Benoît Hamon, aceitou a proposta do candidato da França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon, para conversarem sobre as presidenciais francesas e a possível junção de forças da esquerda. Um outro candidato de esquerda, o ecologista Yannick Jadot, vai desistir da corrida 

O candidato presidencial do Partido Socialista Francês, Benoît Hamon, respondeu favoravelmente à proposta do candidato mais à esquerda, Jean-Luc Mélenchon de discutirem em conjunto a situação política e as eleições de abril. O socialista sublinhou que ele é o que tem "melhores condições" de encarnar uma candidatura comum à esquerda.

O candidato apoiado pelo o Partido Comunista Francês e pelos dissidentes de esquerda dos socialistas, que formou o movimento França Insubmissa, Jean-Luc Mélenchon, cotado nas sondagens com 12% dos votos (Benoît está cotado com 16% nessas mesmas sondagens), declarou-se. na quinta-feira, "aberto à discussão" com Benoît Hamon. Em resposta, o socialista afirmou que estava disponível para o diálogo: "eu disse-lhe que aceito de boa vontade a sua proposta e que proponho que possamos convidar também para esta conversa outros, como Yannick Jadot, para ver em que condições a esquerda se pode unir".  E acrescentou que se Melénchon e os comunistas estão dispostos a pensar uma candidatura comum, ele participará nas discussões "com muito prazer".

A conversa entre os dois candidatos com mais intenções de votos na esquerda está prevista realizar-se no próximo domingo. 

Recorde-se que embora os candidatos de esquerda somem quase 30% nas sondagens, a probabilidade de passarem à segunda volta, dada a pulverização de candidaturas, é reduzida. Casou houvesse uma candidatura comum estariam na segunda volta com Marine Le Pen. 

Por sua vez, o candidato ecologista anunciou na quinta-feira que renunciaria à sua candidatura em troca de uma aliança com Benoît Hamon.