Economia

BdP. Crescimento até 2019 revisto em alta puxado por exportações

Banco de Portugal prevê aceleração do PIB para 1,8% este ano, valor “inferior ao necessário” para uma convergência real com a zona euro

O Banco de Portugal (BdP) reviu em alta as projeções para a economia portuguesa. O banco central estima que o PIB vai acelerar para 1,8% este ano, depois de ter aumentado 1,4% em 2016.

O banco central melhorou também as estimativas para os próximos dois anos, com uma previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto de 1,7% em 2018 e 1,6% em 2019. 

De acordo com as projeções do BdP, reveladas ontem, “comparativamente com as anteriores projeções, publicadas no Boletim Económico de dezembro, a taxa de crescimento anual do PIB foi revista em alta” em 0,4% em 2017, 0,2% em 2018 e 0,1% em 2019. 

A estimativa do BdP para este ano fica acima da previsão de 1,5% do Orçamento do Estado, mas o ministro das Finanças, Mário Centeno, admitiu ontem, em Londres, rever a estimativa para “qualquer coisa próxima de 2%” no Programa de Estabilidade, que deverá ser remetido a Bruxelas até final de abril.

A instituição liderada por Carlos Costa sustenta que “estas revisões traduzem um dinamismo da atividade económica no final de 2016 e início de 2017 superior ao antecipado no anterior exercício de projeção, bem como o impacto globalmente favorável das hipóteses de enquadramento externo”.

Ritmo No entanto, o BdP considera que o “ritmo de crescimento é inferior ao necessário para o reinício do processo de convergência real face à área do euro” e assinala que no final “do horizonte de projeção, o PIB situa-se num nível próximo do registado em 2008”.

De acordo com o documento, a “evolução da atividade ao longo do horizonte de projeção está sustentada num crescimento forte das exportações - refletindo um enquadramento económico e financeiro externo favorável e a manutenção de ganhos de quota de mercado”. 

A instituição sustenta que “o comportamento das exportações, tanto de bens como de serviços, tem sido um dos aspetos mais assinaláveis do processo de ajustamento da economia portuguesa, propiciando uma marcada reorientação de recursos produtivos para setores mais expostos à concorrência internacional”.

Ajustamento De acordo com as projeções reveladas ontem, as exportações “deverão situar-se em 2019 cerca de 60 por cento acima do nível registado em 2008”. Nesse ano as exportações deverão pesar 46% no PIB, um valor superior aos 40% verificados no ano passado e muito acima dos 31% que pesavam em 2008.

Para o horizonte da projeção, o Banco de Portugal espera ainda uma “recomposição da procura interna no sentido de um maior dinamismo” do investimento e que a taxa de desemprego fique já este ano nos 9,9%. 

O BdP estima também uma taxa de inflação de 1,6% em 2017, 1,5% em 2018 e 1,5% em 2019. e que o excedente da balança de bens e serviços diminua de 2,2% do PIB em 2016 para 1,4% este ano e para 1,3% em 2018, recuperando em 2019 para 1,4%.