Desporto

Super-Dragões prometem não voltar a entoar o cântico da polémica

Claque do FC Porto classifica o triste momento como "uma sátira sem quaisquer consequências reais"

A principal claque do FC Porto, Super-Dragões, voltou nesta quarta-feira a estar em evidência pela negativa, quando no jogo de andebol entre os azuis e brancos e o Benfica entoou um cântico que causou enorme polémica não só em Portugal mas também no Brasil. Agora, em comunicado, promete não voltar a fazê-lo, referindo que tal não passou de uma "sátira sem quaisquer consequências reais".

“Ai quem me dera que o avião da Chapecoense fosse do Benfica”, assim cantaram os membros da claque afeta ao FC Porto. O momento, registado em vídeo, rapidamente se tornou viral nas redes sociais, levando inclusivamente o clube azul e branco a demarcar-se do cântico, que faz alusão ao acidente de aviação que matou mais de 70 elementos da equipa brasileira da Chapecoense no passado dia 29 de novembro.