Sociedade

IAVE: “Nada existe de errado” nos critérios de avaliação do exame de matemática

A Sociedade Portuguesa de Matemática tinha denunciado a existência de um erro na proposta de correção do exame do 9.º ano

O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) veio reafirmar hoje que “nada de errado existe na opção presente nos critérios de classificação do item 14” da prova final de matemática do 9.º ano. A tomada de posição da entidade responsável pela realização das provas e exames nacionais surge depois da Sociedade Portuguesa de Matemática ter considerado que existe uma pergunta no exame de 9º ano cuja proposta de resposta está “integralmente errada”.

Em causa está a questão número 14, que vale quatro pontos. O IAVE – entidade responsável pela realização das provas e exames nacionais – autoriza a que se desconte apenas um ponto numa situação em que a SPM considera a resposta completamente errada. O presidente da SPM, Jorge Buescu, explica, em declarações ao “Público”, que os critérios de correção dão quatro ponto à resposta correta e três a uma resposta errada. Neste caso seria tirar os parênteses quando é pedido ao aluno que fatorize (escreva sob a forma de um produto) um determinado polinómio, o que na opinião do especialista, invalida toda a expressão.

Em comunicado, o IAVE explica que “o objetivo do item 14 era verificar se os alunos identificam um dos casos notáveis da multiplicação de polinómios”. A resposta referida pela SPM como “integralmente errada” evidencia essa identificação”, referem. Assim, onde se indica que a apresentação de expressões incorretas do ponto de vista formal está sujeita à desvalorização de um ponto, foi esta a desvalorização aplicada".