Sociedade

Suspeitos de esquema de burla detidos pela PSP

Os burlões usavam o nome de instituições conhecidas para angariar fundos

A Polícia de Segurança Pública (PSP) deteve, nesta quarta-feira, dois homens de 40 e 68 anos e uma mulher de 35 anos por burla.

O grupo usava o nome de instituições de solidariedade conhecidas e pediam dinheiro para crianças com cancro que não existiam. Ao longo de seis anos, o trio burlou quase três mil pessoas em mais de um milhão de euros.

A investigação da PSP durou mais de seis meses e descobriu que o esquema se baseava em contratar pessoas temporariamente para fazerem telefonemas e recolher donativos.

Por telefone contavam a história da alegada associação e que esta estava a ajudar crianças de famílias pobres que necessitavam de dinheiro para pagar os tratamentos de cancro, sendo que as pessoas acreditavam e de imediato faziam um donativo.

Os detidos estão a ser acusados da prática de crimes de burla agravada e associação criminosa e serão esta quinta-feira presentes a juiz no Tribunal de Famalicão.