Banca

Contas de custo reduzido aumentam

O número de contas de serviços mínimos bancários, de custo reduzido para os clientes – ou low cost – voltou a aumentar. De acordo com o Banco de Portugal (BdP), a subida foi de 12% no primeiro semestre de 2017, face ao final do ano anterior, e 27% em relação aos primeiros seis meses de 2016. 

Em comunicado divulgado ontem, o banco central revela no final de junho "existiam 39.146 contas de serviços mínimos bancários", 5121 abertas este ano. Destas, 43% foram uma "conversão de uma conta de depósitos à ordem existente na instituição de crédito, proporção inferior em 5 pontos percentuais à registada em 2016 (48%)”.

Os bancos comunicaram ainda ao BdP que do "encerramento de 928 contas de serviços mínimos bancários, das quais 84% foram encerradas por iniciativa do cliente".

Estas contas têm como objetivo permitir que todas as pessoas tenham acesso a um conjunto de serviços bancários considerados básicos a um baixo custo. Os serviços mínimos bancários incluem "a abertura e manutenção de uma conta de depósito à ordem, a disponibilização do respetivo cartão de débito e a possibilidade de realizar levantamentos ao balcão, débitos diretos e transferências intrabancárias nacionais".

As instituições de crédito não podem cobrar comissões, despesas ou outros encargos que, anualmente e no seu conjunto, excedam 1% do salário mínimo nacional (5,57 euros) pelos serviços mínimos bancários.

Os custos de uma contra tradicional podem chegar a 50 euros anuais.